Arquivo para a categoria

08/01/2017 Por que mudou o nome do blog?

Tags: |

Basicamente, porque nós estamos passando por um momento de crise, e renovação de domínio se tornou uma coisa absurdamente cara.

Outro dia, recebi um e-mail da UOL Host (sim, eu cometi o erro de registrar meu domínio por lá) informando que a renovação automática não funcionou. O que me deixou bastante feliz, na verdade, porque na minha atual situação, desembolsar R$50,00 por algo que uso tão eventualmente quanto o blog (sinto muito por isso, mas é a vida), é impensável. (mais…)

Deixe um comentário

13/07/2015 A beleza de mudar

Tags: | |

As pessoas mudam, aceite isso.

Mudar não é ruim. Nós vamos adquirindo conhecimento ao longo de nossas vidas, vamos convivendo com pessoas novas, experimentando o mundo à nossa volta, e isso faz com que repensemos nossos ideais, nossas ideias, nossas opiniões. Mudar é saudável, faz parte do processo de amadurecimento.

brabuletasA imagem mais clichê do mundo, para ilustrar como mudar pode ser legal! :)

Pensando assim, você deve dizer “Ainda bem, né?”. Mas, o mais chocante, é que muita gente não pensa dessa forma. Algumas pessoas têm uma resistência tão grande à mudança, que se sentem incomodadas, irritadas, quando percebem que outras pessoas passam por esse processo, e começam a desferir ofensas, como se mudar fosse algo muito ruim.

 

Outro dia, conversando com um colega sobre relacionamentos abusivos, eu estava explicando como não devemos julgar a mulher que não consegue largar o marido abusivo, chamando-a de “mulher de malandro”, porque sair de relacionamentos assim é muito difícil, e que é necessário avaliar a situação a fundo para entender os motivos dessa mulher, ao invés de dizer apenas que “se está com ele é porque gosta de apanhar”. Eis a minha surpresa quando a pessoa riu alto e disse “Isso é hipocrisia sua, porque não tem muito tempo, você mesma disse que se a mulher está com um cara que bate nela, é porque gosta de apanhar”.

Sim, eu costumava dizer coisas assim. Até piores! Quando era pequena, morria de medo de cachorro e achava que ser chamada de “menina” era uma ofensa inaceitável. Na minha adolescência, achava que homossexualidade era opção (ou vontade de chamar atenção), que chorar era coisa de gente fraca, que depressão era frescura, e que eu sabia de tudo. E há pouco mais de um ano, achava que funcionário público concursado ganhava dinheiro fácil, sem precisar trabalhar (LEDO ENGANO).

Se nós fôssemos incapazes de mudar de opinião, eu seria um ser humano muito pior do que sou hoje.

Então, vamos abraçar as mudanças, sem medo, sem preconceito, sem julgamentos. Você não é “sem personalidade” porque muda de opinião, mas tem chance de ser uma pessoa excessivamente insegura, se a possibilidade de mudar te assusta tanto.

Procure ajuda.

BEIJOS!

 

3 Comentários

09/07/2015 25 Felicidades

Tags: |

A felicidade está nas pequenas coisas. Quem nunca ouviu isso? É uma das grandes verdades da vida. E aí eu li um post todo lindo no My Other Bag is Chanel, sobre as 25 coisas que a Michele ama e não são coisas, e fiquei toda empolgada para fazer a minha própria versão das 25 felicidades da vida. Então, segura aí. ;)

amoooores

Lista não numerada porque não existe uma ordem de importância.

  • O abraço da Mel quando chego em casa
  • O rosnado do Toddy quando coloco a mão nele à noite para saber se está tudo bem (se ele rosna, é porque está tudo bem rsrsrs)
  • O focinho macio do Preto esfregando no meu rosto de manhã
  • A cor do céu no inverno
  • Tomar banho
  • Encontrar dedicatórias em livros de sebo
  • A sensação de dever cumprido ao finalizar algum trabalho
  • Tomar bebidas geladas no verão
  • Tomar bebidas quentes no inverno
  • O modo como a Mel deita sobre as minhas pernas, para me esquentar, sempre que estou doente ou com cólica
  • O modo como o Toddy está sempre perto de mim, mesmo que isso signifique deitar no chão frio da copa enquanto eu tomo café da manhã, ou no cimento duro do quintal enquanto cuido das plantas
  • O modo como o Preto cutuca a minha mão pedindo carinho, e deita a metade do corpo no meu colo quando recebe o carinho
  • O tanto que o Toddy ama o Douglas, mas resiste em demonstrar isso
  • A forma como os cachorros mexem a língua na boca quando estão se sentindo bem e felizes
  • Encontrar a música perfeita para o momento
  • Ter coisas para fazer no trabalho suficientes para a hora passar rápido, mas que não sejam problemas
  • Ver a felicidade das pessoas que amo
  • Quando minhas plantas estão crescendo fortes e bonitas no jardim
  • Ver o sol nascer
  • Me aconchegar na cama com os cachorros e o marido para dormir
  • Ter uma noite de sono tranquilo e profundo
  • Ter sonhos bons
  • Ir para casa depois do trabalho, especialmente na sexta-feira e em véspera de feriados
  • Receber carinho de quem amo em momentos inesperados
  • Receber elogio por algo que fiz

Pensando aqui, eu poderia passar dias e mais dias descrevendo todas as pequenas coisas que me deixam feliz.  Mas vou deixar resumido nessas 25 mesmo.

E vocês? Quais são as coisas-não-coisas que os tornam felizes? :)

 

Deixe um comentário