Arquivo para a categoria

21/01/2014 Semana 4: Minhas citações preferidas

Tags: |

Acho que esse foi o post mais difícil do Desafio 52 Semanas até agora. Eu gosto muito de livros, gosto muito de músicas e de filmes. Mas eu dificilmente me apego a um pequeno trecho, uma pequena frase. É muito raro eu me lembrar de citações específicas (a menos que eu já tenha lido/ouvido/assistido milhões de vezes, como é o caso de uma das citações abaixo). Então, tive que pesquisar bastante para relembrar daquelas falas e trechos que mais me marcaram quando li determinado livro, ou assisti determinado filme.

 

1. “A Morte é libertação, não punição”

Fala do Rei Einon, no filme Coração de Dragão (um daqueles casos que eu realmente me lembrava da citação). Eu me lembro da primeira vez que assisti esse filme e fiquei pensando “Cara, ele tem razão!”, e depois disso eu adotei essa ideia quase como filosofia de vida. Eu realmente acho que “a mote é pouco” para pessoas que fazem coisas muito terríveis (sim, sou dessas), e que se deve pagar em vida pelo que se faz em vida.

 

2. “Que a Arte nos aponte uma resposta, e que ninguém a tente complicar, pois é preciso simplicidade para fazê-la florescer”

pro-blog

Trecho da letra de “Metade” do Oswaldo Montenegro. Quando eu conheci essa música, já estudava Bruxaria, e achei que a frase se encaixa precisamente em ambos os tipos de Arte. Tanto a arte artística, quando a arte mágica. E durante muitos anos, usei essa frase como assinatura dos meus e-mails (brega, eu sei, mas enfim…).

 

3. “Você quer armas? Nós estamos em uma biblioteca! Livros! As melhores armas do mundo!”

Frase de Doctor Who, que o Doutor fala quando eles estão presos em uma biblioteca com uma criatura assustadora do lado de fora ameaçando-os. E, parando para pensar, essa frase diz muito mais do que isso. Livros, as melhores armas do mundo. Porque a melhor arma é o conhecimento, e livros são conhecimento. O Doutor tem toda razão, como sempre. rs

 

4. “Todos erram ao fazer coisas novas. Não há forma de evitar. Se você deixar que isso te incomode, só vai se arrepender mais. Por isso, não desista de você.”

Fala do Watanuki Kimihiro, no anime xXxHolic. Na verdade, eu tinha vontade de fazer um mural com todas as lições de vida desse anime e pregar em algum lugar bem visível da minha casa, do meu local de trabalho, da minha vida. Porque eu acho que todas as lições são super válidas. Mas essa aí me agrada de um jeito especial, porque eu tenho a péssima tendência a desistir das coisas quando elas se tornam difíceis e eu começo a errar. Preciso me lembrar todos os dias que errar é normal, faz parte do aprendizado, e que se eu for ficar me menosprezando e diminuindo toda vez que fizer algo errado, vou parar de viver. =P

 

Existem muitas frases, muitas citações, muitos livros inteiros que eu gostaria de colocar aqui. Mas vou ficar só com essas, porque falta tempo, e porque não cabe tudo em um post só. ;)

1 Comentário

24/11/2013 Semana 3: Coisas para fazer no calor

Tags: |

Minha vontade é de responder o Desafio 52 Semanas dessa semana com uma única palavra: dormir. De preferência, dormir debaixo do ventilador. Mas é um desafio com 5 itens, e eu vou tentar enumerar aqui 5 coisas que são boas de se fazer no calor. Vai ser um esforço mental e tanto! Mas eu vou tentar…

 

1. Banho de Cachoeira

a_ronco

Na verdade, a palavra de ordem aqui é banho. Tomar banho no calor, é a maior bênção que uma pessoa pode receber. Mas tomar banho de cachoeira tem um toque todo especial. Porque além de refrescar, a água de rio purifica nossa alma, nos deixa mais leves, mais tranquilos. E se formos na companhia de pessoas que gostamos, ainda se torna uma ótima oportunidade para nos divertirmos muito!

 

2. Comer salada

salada

Sou vegetariana. Mas ao contrário do que muita gente pensa, não como só mato não. Para ser sincera, uma salada bonita como essa da foto é refeição rara lá em casa. No dia-a-dia costumo comer arroz, feijão e legumes cozidos (ou fritos, ou refogados, dependendo da situação). Mas em dias muito quentes, meu organismo implora por uma saladinha fria, cheia de verduras e legumes crus. Adoro!

 

3. Dormir na rede

redes-com-tecido-em-xadrez-rede

Hoje em dia eu moro numa casinha pequenina, com um quintal igualmente pequeno, e sem espaço para pendurar uma rede. Mas quando eu era adolescente, morei numa casa de dois andares que tinha um varandão enorme nos fundos, com duas redes penduradas. Perdi a conta de quantas noites de verão eu dormi deitada ali, ouvindo grilo, contando estrelas… Vidão!

 

4. Ler na sombra de uma árvore

a-woman-reading1-monet

Ler é sempre bom! Mas nesse calor dá uma preguiça, né? Aliás, no calor eu fico com preguiça de tudo. Às vezes começo a ler e caio no sono em menos de uma página. Mas só a ideia de sentar à sombra de uma árvore fresquinha, com aquela brisa gostosa batendo no rosto, e ler um bom livro, já me deixa super animada. Quero fazer isso, tipo, agora!

 

5. Roupas de viscose

Baixando a filha de costureira aqui. Porque eu sei o que é uma viscose, e ela me deixa muito feliz no calor. Sério… Viscose é o tecido mais amor que existe para o verão, porque é leve, fresquinho, e dá pra fazer de tudo com ele. Tenho blusas, saias, vestidos e calças de viscose, e simplesmente AMO aquele toque macio na minha pele. E, como filha de costureira, a parte mais legal é poder desenhar as roupas do jeito que eu quero, porque a mamãe é fera na costura e faz tudo ficar lindão! ;)

 

Quais são as coisas que você gosta de fazer no calor (além de hibernar dormir)?

7 Comentários

03/11/2013 Semana 2: Eu nunca…

Tags: |

Dando continuidade ao Desafio 52 Semanas, vamos a um post rapidinho falando sobre 5 coisas que eu nunca fiz.

Antes de mais nada, é preciso dizer que eu levo uma vida muito simples, então há um sem número de coisas que nunca fiz. Portanto, não espere grandes coisas desse post. ;)

 

1. Eu nunca fui a um parque de diversão

parque

Visitar um parque de diversão com a turma de escola na viagem de final de ano. Quem nunca? Bom… Eu nunca. Quando eu era bem pequena, tinha diversos problemas de saúde que me impediam de fazer qualquer tipo de esforço físico sob sol (a menos que fosse na água). Isso me livrou das aulas de Educação Física, mas também me manteve afastada de diversos tipos de atividades com a turma da escola, inclusive as excursões para parques de diversão. Na minha época, o mais famoso era o Tivoli Park (ainda nem existia o Hopi Hari), e depois que finalmente me curei das doenças bizarras, perdi o ânimo de participar desse tipo de evento (embora eu adorasse excursões para museus e coisas do tipo). Hoje em dia, tenho outros motivos para não ir.

 

2. Eu nunca tive um gato de estimação

lindo-gatinho-a-relaxar

Essa é uma das grandes frustrações da minha vida. Quando eu digo para as pessoas que não quero ter filhos, elas ficam me azucrinando com aquela ideia de que “Um dia o seu relógio biológico vai despertar e você vai querer ter filhos”. A notícia é que eu tenho 31 anos, estou possivelmente me aproximando da menopausa (questões genéticas), e até hoje eu só tenho vontade mesmo é de ter um gato. =3
Mas minha família nunca foi muito chegada a gatos, e em respeito aos meus pais, nunca levei um filhote felino para casa (de cachorro eu já levei alguns). E agora que eu finalmente estou na minha casa, tenho dois cachorros lindos e maravilhosos que estão me dando despesa pra caramba, e eu só vou adiando a adoção de um gatinho para aumentar a família. =P

 

3. Eu nunca consegui plantar bananeira

participantes-plantam-bananeira-em-taiwan-1311613654128_615x300

Não chega a ser uma frustração (porque eu não tenho vocação para ficar de cabeça pra baixo), mas eu pratiquei capoeira durante quase seis anos, e nunca consegui mudar para o cordel amarelo porque eu precisava sustentar o meu corpo nos meus braços, e isso era fisicamente impossível para mim. Meus braços sempre foram muito fracos (talvez para compensar as pernas muito fortes), e o mestre até tentava me ajudar segurando as minhas pernas no ar, mas bastava que ele me soltasse pra eu escorregar igual uma minhoca para o chão. =P

 

4. Eu nunca faço planos

Strategic-Planning

Existe uma diferença entre fazer planos, e sonhar com o futuro. Eu sonho em ter uma casa com um jardim bem grande, uma horta e coisas do tipo. Mas planejar isso, eu nunca consegui. Aliás, eu fui criada sob a filosofia de que “se planejar, não dá certo”. Quando eu era pequena, meus pais (dois pais e duas mães, só para constar) todo final de semana me levavam com eles para as pescarias. Mas nós sempre saíamos de casa com intenção de ir pra um lugar, e acabávamos em outro completamente diferente. Era uma estradinha no meio do caminho que parecia promissora, o encontro inesperado com um conhecido que nos chamava para tomar um café, ou a minha vontade repentina de passar a noite em algum lugar diferente, e lá íamos nós. Por fim, eu acho que peguei essa mania de não fazer planos, e hoje vou vivendo, um dia de cada vez, fazendo minhas pequenas conquistas diárias. Mas não me pergunte o que eu pretendo fazer na semana que vem. =P

E não confundam planos com compromisso. Compromisso é algo que levo muito a sério, e sou obsessivamente pontual. =)

 

5. Eu nunca me afogo nos meus sonhos

underwater-room_00450317

Esse é um fato muito random a meu respeito, mas eu acho interessante. Tenho sonhos bastante lúcidos, em 90% das vezes eu me lembro dos meus sonhos, e quase sempre tenho controle sobre o que acontece. É muito raro eu ter pesadelos, porque quando algo ruim está para acontecer, eu sempre posso sair voando, afirmar que o sonho é meu e mudar tudo a meu favor (sim, aquela galera lá do Inception é um #bandinoob), ou simplesmente me acalmar e ver como as coisas se desenrolam. E outro fato curioso é que sempre tem água nos meus sonhos. Seja uma goteira, uma torneira aberta, ou um verdadeiro oceano. E eu nunca me afogo, porque posso respirar debaixo d’água. Já fiz verdadeiras expedições subaquáticas por conta disso, e é sempre muito legal. =)

 

E você? Quais são os seus “eu nunca”?

2 Comentários

24/10/2013 Semana 1: Coisas que me fazem ficar feliz

Tags: |

Estou iniciando o meu Desafio 52 Semanas hoje. Já faz muito tempo que tenho visto esse desafio em diversos blogs ao longo da Internet, mas foi só depois de ler o post da Lena que finalmente me decidi por participar do desafio também.

Não serão 52 semanas seguidas, com toda certeza. Porque se existe um fato a respeito de mim, é que sou inconstante. Daqui a pouco pode ser que eu não queira, não esteja a fim, então não vou postar. Mas tenho esperança de que consiga, pelo menos, completar as 52 semanas, mesmo que leve 152 semanas fazendo isso. rsrs

Mas chega de lenga-lenga e vamos logo com isso.

Antes de mais nada, preciso dizer que é muito fácil me deixar feliz. Eu vejo a felicidade nas pequenas coisas da vida, então vai ser muito difícil escolher apenas cinco. Por isso, esse não pode ser considerado o post definitivo das coisas que me deixam feliz. São apenas algumas delas…

 

1. Meus cachorros

Toddy

Não existe nada, nada, no mundo que me deixe mais feliz do que meus cachorros. O dia pode ter sido uma merda, aquele cliente importante pode ter pedido uma alteração urgente na sexta-feira às 17:58, a fatura do cartão de crédito pode ter vindo mais alta que dois salários somados, posso ter perdido meu chão. Basta eu ser recebida com leques de rabos abanando, boas lambidas na cara, e pronto. Às vezes eu estou no trabalho, arrancando os cabelos por causa de algo que não consigo resolver, aí meu namorado vai e posta isso:

Não existe mau humor que resista a essa cena. Minha vontade é de atravessar a tela e abraçar, apertar, esfregar a minha cara nela e não soltar mais! hahaha

 

2. Inspiração

Além de ser webdesigner, eu também escrevo uns livros de vez em quando, e fico realmente feliz quando surge a inspiração para fazer isso. O momento de inspiração, por si só, já é feliz. Normalmente ele vem com um sonho instigante, uma música que me pega de jeito, ou uma situação cotidiana que, de repente, parece perfeita para estar no papel. Aí eu vou lá e escrevo, escrevo, escrevo. Às vezes dura dias, semanas, meses. Às vezes dura algumas horas, mas é sempre bom. Eu me sinto renovada, com ânimo redobrado, e num instante parece que sou capaz de qualquer coisa.

 

3. Trabalho reconhecido

Às vezes passo horas criando aquele layout que eu acho lindo, escrevendo um texto que me parece ótimo, arrumando alguma coisa dentro de casa, ou fazendo uma comida que acho deliciosa. Normalmente eu já me sinto feliz só pela satisfação do trabalho bem feito, mesmo que ninguém mais repare. Mas quando alguém repara, quando alguém diz “Isso ficou ótimo! Parabéns!” eu fico ainda mais feliz. O dia fica colorido, e eu fico me auto-parabenizando durante muito tempo.  =)

 

4. Livros

Livros me deixam feliz várias vezes. Quando eu os compro, quando eles chegam, quando folheio e sinto o cheirinho (de novo, ou de velho), quando descubro que tem dedicatória ou anotação do antigo dono, quando eu os carimbo com a minha marca e eles se tornam “parte da família”, quando os vejo alinhadinhos na minha estante parecendo lindos, quando eu os leio e descubro que são bons, quando aprendo alguma coisa com eles, enquanto eu estou lendo e parece que todo o mundo à minha volta deixou de existir, quando termino de ler e fico com aquela sensação gostosa de saudade, quando encontro outras pessoas que leram o mesmo livro e posso conversar a respeito. Tudo isso me deixa feliz.

 

5. Natureza

Rosa da Tia Maria

Estar em contato com a Natureza, de uma forma geral, me deixa feliz. Seja cuidando do meu jardim, tomando um banho de cachoeira, ou andando no meio de árvores. Sempre que tenho a oportunidade de estar em contato com a Natureza, me sinto renovada, preenchida, como se tivesse encontrado uma parte que me faltava. E qualquer manifestação da Natureza costuma me deixar feliz. Uma borboleta bonita me rodeando no meio da rua, nuvens muito brancas no céu muito azul, chuvas e tempestades, ventanias, o céu estrelado, florzinhas novas no jardim, cheiro de terra molhada, aquela Lua toda sorridente lá em cima. Tudo.

É claro que não fico feliz com destruições como tsunamis, enchentes, furacões, terremotos. Mas mesmo essas manifestações mais violentas são necessárias, e embora eu não fique feliz, respeito.

 

E você? O que te deixa feliz? =)

Deixe um comentário