Arquivo para a categoria

12/05/2008 Dia das mães e leitura.

Tags: | | |

Achei que nunca mais ia conseguir escrever um post! o.o

O trabalho aqui na empresa esses dias aumentou bastante, especialmente porque resolveram me cobrar coisas que não são minha obrigação fazer. Mas tudo bem, porque dei conta de tudo e não tive maiores problemas, e isso prova que estou apta a subir mais um degrau na escada de cargos que almejo conquistar.  :D

Dia das Mães

O final de semana foi, inesperadamente, bom!

Inesperadamente, porque o namorado-sama foi arrastado para a casa da avó, na pequena cidade (menor do que a Nowhereland) onde vive quase toda a família dele. E como eu queria passar essa data com a minha mãe, nós não nos vimos. Mas foi muito bom, porque tive tempo para colocar o sono em dia, e até mesmo ficar sentada de bobeira com os pés sob sol enquanto lia um livro (coisa que há muito não me sobrava tempo para fazer).

Mas o dia das mães mesmo, aquela data comemorativa que tem por objetivo homenagear as progenitoras (ou não), que criam seus filhos com todo amor, carinho e zelo, foi um tanto estranha. Especialmente, porque foi o primeiro Dia das Mães em mais de 70 anos que a família passou sem sua matriarca, sem aquele centro de união. Foi muito estranho não ser chamada para almoçar junto com todas as mães na casa onde, durante muitos e muitos anos, morou aquela que nós, carinhosamente, chamávamos de . A criatura mais sábia, bondosa, forte e gentil que eu já tive a honra de conhecer nos meus poucos anos de vida. Poucos, perto dos 93 que ela passou aqui na Terra, nos guiando, aconselhando, ensinando e cuidando.

Definitivamente, não foi a mesma coisa. Cada um em sua casa, comemorou (ou não) a data como achou que convinha. Eu passei o dia com a minha mãe, almocei com ela, depois passei o restinho da tarde na casa da minha madrinha e mãe, mas ainda assim, senti um pouco de falta da família toda reunida em volta de uma mesa, falando alto, brincando uns com os outros, enquanto crianças de todas as idades correm em volta da gente e sempre acabam caindo ou derrubando alguma coisa, que não é importante, e mesmo se fosse o objeto mais caro do mundo, naquele momento, seria apenas mais um motivo para rir e brincar.

Eu nunca fui de participar dos eventos sociais em família, mas sempre tive a segurança de que a família estaria reunida lá sempre que eu precisasse, então é estranho para mim, que cresci vendo essa mágica reunião acontecer em todas as datas comemorativas do ano, ter um Dia das Mães tão silencioso assim.

No entanto, mais do que em qualquer momento da minha vida, tive a certeza de que a nossa matriarca estava lá, olhando por nós e nos orientando, como fazia sempre. É por isso que, mesmo um pouco atrasada, eu gostaria de desejar à Vó Marina, um Feliz dia das Mães! :)

Eu e meus livros…

Eu contei que comprei livros novos, né? Um deles fala especificamente sobre a Stregheria (que, a grosso modo, poderia ser chamada de Bruxaria Italiana).

Quando eu falo para você “estou lendo um livro sobre a bruxaria italiana”, qual associação você faz?
Pizza? Spagetti? Massas em geral? Torre de Pisa?
Pois é… Normalmente, essas são as primeiras associações que fazemos à Itália. Sabendo se tratar da parte religiosa, o máximo que já me responderam quando fiz essa pergunta, foi Cristianismo. Afinal, a base (O Vaticano), embora seja um país à parte, está lá dentro.

Pois bem… Itália, minha gente, é Roma! Um dos impérios mais antigos e poderosos de que se tem conhecimento, com política e religião muito antigos e bem estruturados. Mas ninguém faz essa associação!!! o.o Quando falamos dos Deuses Marte, Vênus, Diana, estamos falando de deuses italianos em sua essência, mas ninguém faz essa associação!

Eu sei que é uma observação fútil e idiota a respeito de coisas magníficas que estão escritas nesse livro, mas eu não pude deixar de ficar impressionada. :P

.

Bom… O livro mesmo tem me dado milhares de coisas para pensar, como eu havia previsto, e quero estruturá-las para escrever aqui e dividir com vocês. Então, até breve! :D

3 Comentários

26/09/2007 Final de semana perfeito

Tags: |

Sei bem que hoje já é quarta-feira e que o final de semana já foi faz tempo, mas por motivo de forças maiores (o meu host simplesmente não me permitia usar o wp-admin), só estou conseguindo colocar o post no ar hoje.

Peço perdão a quem veio aqui atrás de novidade e não encontrou lhufas .

Como já tinha dito aqui, no domingo passado (23 de setembro) teve VGL no Rio de Janeiro e eu fui! Mas o final de semana perfeito não foi feito apenas de orquestras, cosplays e músicas de vídeo-game. Tampouco poderia ser descrito num simples blog de 150mb de espaço em disco. =D Por isso, vou tentar resumir aqui os melhores momentos desse que já é considerado um dos melhores finais de semana do ano! =D

E para acompanhar o post, uma das músicas de vídeo game que eu mais gosto: Metal Gear Solid 2 Theme:

Os quatro dias podem ser divididos em duas partes:

.

Viagens e pré-evento:

Na sexta-feira, fiz a mágica da multiplicação do espaço interno – executada antes por Mary Poppins – para fazer um edredon, um travesseiro e uma toalha caberem dentro do meu humilde colchonete enrolado, sem que isso fizesse o rolo ficar maior; além de fazer com que tudo o que eu pudesse precisar em quatro dias coubesse dentro de uma pequena mala de mão. Feito isso, embarquei no ônibus de 21h para a casa do Jeff em BP-City.
Depois de perdermos hora no sábado e comprovarmos mais uma vez a teoria de que ele tem capacidade de distorcer o espaço-tempo, conseguimos chegar a tempo na rodoviária e rumamos para o Rio. Chegamos na Novo Rio por volta de 10:30h da manhã, onde encontramos com o Dawras e a namorada dele, Flávia. Por incrível que pareça (ou como mais uma prova das habilidade do meu namorado) conseguimos um ônibus vazio para Niterói!
Chegando em Nikiti – e depois de eu conhecer a Camila, namorada do Gralha – decidimos sair para nos divertir um pouco na Cidade Maravilhosa. O problema era decidir onde ir. Depois de idéias como praia, fortes, pontos turísticos em geral e outras badalações que foram educadamente recusadas pelos nerds, ficamos entre o Jardim Botânico e Lagoa Rodrigo de Freitas para andar de pedalinho. Mas tínhamos um sério problema: O Jeff não queria ver mato e o Dawras morre de medo de pedalinho. Você não entendeu errado. Ele realmente tem medo de pedalinhos. Ficamos divididos então entre os três que sabem nadar e curtiam a idéia de ir pedalar nos cisnes da lagoa (eu, Jeff e Gralha) e os três que não sabem nadar e prefeririam ser bombardeados por jacas assassinas no Jardim Botânico a correr o risco de se afogar (ou sofrer alguma mutação) na água da lagoa (Dawras, Flávia e Camila).
Mas como somos nerds pacíficos e compreensivos (uma ova), resolvemos não andar de pedalinho, mas fazer uma caminhada em volta da Lagoa Rodrigo de Freitas – o que satisfaria os dois lados. No entanto, os nerds aventureiros não desistiram e, depois de uma longa caminhada e muita zoação, quase conseguiram convencer os nerds ranzinzas a andar de pedalinho. Não fosse o alto preço cobrado pelo Papai Noel (porque o senhor que cuida dos pagamentos dos pedalinhos é o naipe do bom velhinho), teríamos conseguido convencê-los.
Já que a idéia dos pedalinhos tinha ido por água a baixo (quase literalmente), resolvemos sentar num dos bancos e comer pipoca, o que se tornou um muitíssimo bem sucedido Encontro de Casais dos Nerds! (mais…)

Deixe um comentário

16/09/2007 Janelas, paisagens e VGL

Tags: |

PerfeitoNa casa dos meus padrinhos, eu tinha um quarto – pequeno, mas só meu -, uma varanda, um quintal enorme, uma horta e uma piscina (que pouco usava, mas era minha). Tinha três cadelas e uma rede, onde passava um bom tempo deitada olhando para a paisagem muito verde em volta da casa, ou lendo algum livro.
Lá, ninguém me perturbava o dia inteiro, a menos que fosse algo realmente importante. Costumávamos conversar por horas enquanto sentávamos ao sol no inverno, ou ficávamos cada um em seu canto, fazendo suas coisas, sem interrupções o dia inteiro. Eu poderia ficar dias trancada no meu quarto mexendo no computador, ou escrevendo alguma história, que ninguém me incomodaria para nada, a não ser chegar na porta e avisar que a comida estava pronta.

Depois que voltei para a casa dos meus pais, muita coisa mudou. Coisas boas e ruins. Tenho um quarto muito maior, um banheiro só para mim, uma cama de casal e uma mãe que paga a Internet porque gosta de jogar MMORPG. Sem contar com as mudanças que aconteceram em mim mesma. Aprendi a compartilhar as coisas, a me preocupar com os outros e a dividir o que tenho (o que antes não passava pela minha cabeça, porque acostumei a viver com “cada um na sua”).
Mas, embora pareça ser tudo muito melhor agora, de uns tempos para cá comecei a me sentir mal. Irritada, sufocada, com vontade de mandar todo mundo para o inferno, ou simplesmente me esconder num cantinho onde ninguém pudesse me ver/ouvir/sentir. E não foi difícil detectar o problema: falta de espaço. O quarto, embora seja grande, não é só meu e tenho que dividi-lo com as máquinas de costura da minha mãe. As janelas, ao contrário das que tinha na outra casa (que não eram janelas, mas sim portas enormes de acesso à varanda), são minúsculas e não exibem paisagem nenhuma, apenas uma garagem coberta e o muro do vizinho. Não há visão para o nascer do Sol, nem da Lua, nem um lugarzinho perto das plantas onde eu possa ficar deitada observando as estrelas.
Nunca pensei que essas coisas pudessem me fazer tanta falta.
Então, me decidi. A partir de hoje, sempre que me sentir sufocada dentro de casa, vou para um lugar bonito, que seja espaçoso e tenha belas paisagens. Tenho certeza de que isso vai me fazer sentir melhor! ^^

.

Video Games Live

Video Games Live in RioÉ isso aí, pessoal. No próximo domingo, dia 23 de setembro, acontecerá a segunda VGL no Rio de Janeiro.
Para quem não conhece, trata-se de uma orquestra (aqui no Brasil, é a Orquestra Sinfônica da Petrobrás) que toca apenas músicas de jogos de vídeo-game. Mas não se engane achando que orquestra é coisa de gente velha (ou de pseudo-intelectuais e aristocratas), porque a VGL é algo muito além de uma orquestra. O evento em si é muito mais empolgante e emocionante do que qualquer outro que eu já fui. Ano passado eu estava lá e garanto que foi surpreendente. Não conhecia praticamente nenhuma das músicas tocadas e poucos jogos, mas me emocionei mesmo assim e fiquei impressionada com a simpatia e o carisma dos responsáveis pelo evento.
Além disso, cosplayers são convidados para fazerem apresentações enquanto a orquestra toca e pessoas da plateia podem ser chamadas ao palco para testar suas habilidades e concorrerem a prêmios o tempo todo.
Recomendo a todos! Seja você fã de jogos, ou não, se tiver oportunidade vá! É sensacional!
Este ano, estarei lá novamente! =D

Deixe um comentário

10/09/2007 Anime Mania Expo 2007

Tags:

Aconteceu nesse final de semana um dos eventos de animação japonesa que eu mais curto: o Anime Mania Expo em Volta Redonda.
Quase não fui por falta de a$$istência monetária, mas com uma ajudinha especial de Delas, consegui ir no sábado e domingo! ^^
Muita coisa legal aconteceu lá e valeu cada centavo gasto! =D Vou tentar fazer um pequeno resumo dos acontecimentos aqui:

Sábado:

De manhã cedinho, nós nem pudemos aproveitar muito, porque a roupa do Jeff estava toda atrasada. O rapaz que ficou de fazer a arma não entregou a tempo e eles tiveram que montar tudo de última hora, o que acabou atrasando todo o resto. Mas à tarde tiramos uma folguinha e rumamos para Volta Redonda.

O ponto forte do dia foi a presença do Vingaard e da Yuki, que se mostraram pessoas muito carismáticas e gentis, além de excelentes cosplayers, e deram uma das palestras mais legais que já aconteceram no AME, com direito à uma breve descrição de como foi a viagem deles para o Japão e o Vingaard contando detalhes sobre os banheiros de lá. XD
Nesse dia, eu e Jeff ficamos muito satisfeitos com esses dois que, apesar de serem nomes consagrados nos concursos de cosplay por todo o Brasil – e agora no mundo por terem concorrido o WCS no Japão, são pessoas simples, humildes, super atenciosos e dispostos a dar todo tipo de dica e informação aqueles que se interessarem pelo trabalho deles. Estão de parabéns todos os dois! ^^

Também no sábado, nós aproveitamos para dar uma olhadinha nos stands e conversar com o pessoal em geral. Estava tudo muito bom, super organizado e limpíssimo (me referindo aos banheiros – porque sou sistemática com banheiros -_-). E tinha culinária japonesa! *_* Mas eu fiquei só babando mesmo, por causa da dieta sinistra ¬¬ (que termina amanhã ^_^/).
No final da tarde, logo quando a palestra dos cosplayers foi chegando ao fim, o Jeff começou a passar muito mal e nós acabamos indo embora mais cedo. Mas valeu a pena mesmo assim! ^^

Domingo:

De manhã, eu, Jeff e Kátia (minha sogra e terceira mãe ^^) ficamos o tempo todo arrumando os últimos detalhes do cosplay do Jeff que parecia querer não dar certo! T-T Foi uma correria só, colando e costurando coisas, indo ao salão para arrumar o cabelo e experimentando métodos alternativos de vestir e tirar roupas . Até que acabou a cola quente, acabou o tempo, acabaram as energias, acabaram-se as paciências e nós quase acabamos não chegando a tempo para a apresentação! XD
Saímos da casa do Jeff em cima da hora e, por muita sorte, ele conseguiu as duas últimas passagens no ônibus de Volta Redonda! Uma distante da outra, mas o rapaz simpático que sentou ao lado do Jeff me ofereceu o lugar, que eu aceitei muito agradecida! XD

A viagem foi doideira total. O ônibus lotou a ponto dos passageiros em pé começarem a reclamar a cada parada. o.o O cabelo já arrumado do Jeff deu o que falar, deixando até um menininho hipnotizado durante alguns minutos. (o Jeff poderia escrever um livro: Métodos para Acalmar Crianças)

Quando finalmente chegamos ao evento, a mocinha simpática na portaria disse: “Corre porque os cosplayers já foram chamados”. Subimos as rampas correndo até as salas reservadas aos cosplays até que eu li na porta: “Camarim masculino”. Nãããão! Eu precisava estar lá, senão o Jeff não conseguiria vestir a roupa! XD Dei uma olhadinha e, como não tinha ninguém se trocando, entrei assim mesmo. Trocamos a roupa dele voando, preparamos tudo e fomos correndo pra fila.
Chegando lá (depois de umas 10 paradas para tirar foto no caminho – “Ei, Vincent! Posso tirar uma foto contigo?”) ele correu para a fila e eu fui correndo para fazer a inscrição dele no concurso! XD

Jeff inscrito, tudo pronto, era momento de aguardar o início das apresentações. Então, eis que eu olho para as partes douradas da roupa dele e fico com aquela cara de pânico. “Jeff, ta despencando tudo!”. Estava tudo caindo, literalmente. A cola quente começou a soltar com o calor e as partes estavam despregando. De repente, o Leo (amigo do Jeff) olha para o chão e diz: “Um tubinho de Super-Bonder”. Sério, foi Delas quem mandou aquele tubinho! XD Colei todas as partes com a colinha mágica e ficou tudo bem! ^^ (mais…)

Deixe um comentário