Arquivo para a categoria

12/07/2010 Volta, mundo blogueiro?

Tags: | | | |

Eu não ia escrever nada a esse respeito, porque sou uma das pessoas que mais andam afastadas do chamado “Mundo Blogueiro”. Mas algumas amigas escreveram coisas que me instigaram a criar esse post aqui.

Quando criei meu primeiro blog, lá em (pasmem) 1999, o objetivo era não ter objetivo. Naquela época, ninguém criava um blog pensando em falar especificamente sobre jornalismo, atualidades, moda, ou o que quer que fosse. No início, os blogs eram apenas weblogs (como bem lembrado pela amiga Mariana), um lugar para se registrar as coisas que aconteciam no nosso dia-a-dia.

O meu dia-a-dia não era muito interessante naquela época. Eu ficava acordada a madrugada inteira para poder usar a Internet discada, acabava dormindo pela maior parte do dia, e passava a tarde escrevendo, jogando, assistindo animes, lendo livros, etc… Então, eu gostava de devanear. Eu filosofava, discutia a vida, falava sobre formas de agir, formas de pensar, e gostava de expor a minha visão a respeito das coisas. Mas esse era o meu jeito de usar o meu blog. Muitas pessoas deixavam de visitar, ou comentar, reclamando que eu escrevia muito. Para essas, sempre tinha o Fotolog.com, onde as minhas imagens sempre falaram mais do que as minhas palavras.

Mas mesmo tendo esse jeitinho pseudo-filosófico de escrever, sempre gostei de visitar aqueles blogs pessoais mesmo, onde as pessoas comentam coisas sobre o dia-a-dia. Não acho que falar sobre a sua vida seja uma coisa fútil, também não vejo quem gosta de ler esse tipo de coisa como fofoqueiro.

Vejamos por outro ponto de vista.

Você entra em contato com uma amiga e pergunta como vão as coisas. Ela te responde contando os casos do último final de semana, você dá a sua opinião, passam horas no telefone/msn/orkut/o-que-for, discutem, brigam, riem. Isso, minha gente, não é fofoca. Isso é interação. Saber o que aconteceu no final de semana da sua amiga, não faz de você uma fofoqueira, tampouco vai torná-la menos culta.

E para você que acha que ficar sabendo dos pensamentos, sonhos, opiniões e ideias de outras pessoas é uma coisa fútil e não vai acrescentar em nada na sua vida, fique sabendo que tenho muita pena de você. Sim, porque a personalidade humana é desenvolvida dessa forma. Nós somos um emaranhado de tudo que vemos, vivemos, experimentamos e presenciamos. Ter contato com outras pessoas, suas vidas e suas opiniões, é uma parte importantíssima desse processo. E se você se recusa a ter esse tipo de experiência, só posso vê-lo como alguém sem personalidade, ou com uma personalidade tão frágil, que seria possível manipulá-la sem qualquer esforço. E eu tenho pena desse tipo de gente que enche a Internet hoje em dia, porque isso sim é ser superficial.

Antes que me atirem pedras, vou deixar bem claro que não tenho nada contra os blogs “comerciais”. Ou seja, aqueles blogs que estão aí só para fazer propaganda de produtos, ou falar de alguma coisa porque está ganhando um por fora para isso. Nada contra mesmo. Acho que cada um transforma o seu blog no que bem entender. Essas pessoas só não devem esperar pela minha audiência. Já deixei de visitar muitos blogs que antes visitava com frequência, porque eles viraram vitrine. Quando eu estou a fim de ver vitrine, até procuro por esses blogs e dou uma olhadinha, mas jamais deixo um comentário. Afinal, vitrine é para ver. Vou comentar o que?

Em compensação, há muitos blogs por aí que falam sobre coisas que eu não gosto (como moda, beleza, etc), mas com conteúdo construtivo. Não são meras vitrines. São blogs que expressam a opinião de quem os escreve – e com uma opinião muito bem formada, por sinal. E admito que essas pessoas têm um jeito agradável de escrever, mesmo que eu não goste do tipo de assunto tratado por eles.

Mas então, que raio de “mundo blogueiro” é esse que você quer que volte?

Nenhum! Eu costumava acompanhar blogs de pessoas muito legais, pessoas criativas, cheias de personalidade, que me encantavam com cada uma de suas palavras. Mas as pessoas crescem, mudam, adquirem outras prioridades. Não seria a mesma coisa se essas pessoas voltassem a escrever agora como escreviam antigamente. Se elas pudessem escrever, mesmo que lá uma vez ou outra, dando notícias de como estão em suas vidas agora, eu me sentiriam muito feliz. Da mesma forma, continuo acompanhando blogs de pessoas que não largaram esse hábito, e que admiro muito. Não porque escrevem sobre as tendências da estação, ou porque falam dos últimos lançamentos de alguma marca (embora elas façam isso às vezes), mas porque o fato delas falarem sobre suas vidas me permitiu conhecê-las, e me identifico com elas por isso.

Portanto, eu não quero que o “mundo blogueiro” volte. Não aquele “mundo blogueiro”. Eu quero que as pessoas tenham a oportunidade de lembrar daqueles tempos, de conhecer esse jeitinho todo pessoal de falar sobre as coisas, e que reinventem suas formas de se expressar. Não tem como ser o que era antigamente. A Internet ganhou proporções onde, tudo o que se fala, é analisado e julgado por milhões de “expectadores” no mundo inteiro, em tempo real. Nem todo mundo está disposto a falar o que pensa diante dessa pressão. Eu não culpo as pessoas por isso. Mas me deixaria muito feliz se elas aprendessem que ter opinião não machuca, e os blogueiros que não se intimidam com isso ajudam bastante.

6 Comentários

01/10/2008 Para mim, os animais IMPORTAM

Tags: |

Senhora Feliz com seu Cachorro

Hoje o post é para divulgar a campanha “Para mim os animais importam!“, organizada pela WSPA – The World Society For the Protection of Animals.
Essa campanha tem como objetivo criar a Declaração Universal de Bem Estar Animal, que visa criar leis e estatutos de proteção aos animais em todo o mundo.

Para apoiar essa idéia, a WSPA criou um abaixo assinado com objetivo de 10 milhões de assinaturas.

Ajude-nos a atingir o reconhecimento mundial que os animais merecem; eles podem sentir dor, podem sofrer e nós temos a responsabilidade em pôr um ponto final nesta crueldade em todo o mundo. Estamos tentando recolher 10 milhões de assinaturas para que os governos tomem conhecimento de que estamos verdadeiramente empenhados em conseguir uma Declaração Universal do Bem-estar dos Animais nas Nações Unidas.

WSPA

Vamos lá! A gente passa o tempo todo navegando na Internet, clicando em milhares de links e nos cadastrando em diversos sites sem nenhum objetivo importante. O que custa gastar 1 minuto do nosso tempo para apoiar uma causa justa?

Para assinar, basta acessar Animals Matter, preencher o formulário e enviar!
É muito fácil, gratuito, e importante! =)

Mas, se quiser ir mais longe, navegue um pouco pelo site e descubra como participar ativamente da campanha, recolhendo assinaturas e divulgando o projeto.

É importante para eles, e importante para nós! =)

3 Comentários