Arquivo para a categoria

16/02/2014 BC: De onde eu posto

Tags: |

Então, né… Casa nova, coisas começando a se organizar, vida voltando a ritmo. Hora de atualizar o blog! E nada melhor do que começar com uma blogagem coletiva do Rotaroots cheia de amor. Um dos temas de fevereiro é “de onde eu posto”, que se resume, basicamente, em mostrar o local de onde a gente faz os posts para o blog, e falar um pouquinho a respeito dele.

Esse aqui é, por enquanto (porque ainda pretendo decorar melhor ele), o meu cantinho da casa nova:

Cantinho

Tentei tirar foto do Toddy debaixo da mesa também, mas ele não deixa. =/ É só ver a câmera na minha mão, que ele dá um jeito de esconder.

Mas é basicamente daí que eu posto, quase sempre. Só vale mencionar que meu Dell Inspiron 1545 faz 7 aninhos esse ano. E embora ele pese quase 3kg, nunca deu manutenção, nunca me deu problema, e sou absolutamente apaixonada por ele até hoje. ;D

PS.: Tenho um mousepad ortopédico de enfeite! Só me interessa mesmo porque ele é de tecido, e eu gosto de mousepads de tecido. =)

11 Comentários

16/01/2014 De volta & BC: Projeto 2014

Tags:

Quem leu meu último post sabe que eu estava de férias. Férias mesmo, de quase tudo, inclusive desse mundão virtual aqui (menos do WoW, onde eu finalmente cheguei ao lvl 90 com um char da Aliança yay). Não li os posts dos amigos, não postei nada, nem fiquei muito por dentro das coisas que rolaram nas redes sociais durante esse tempo. E, não… Não vou “tirar o atraso”. Não vou procurar saber tudo o que perdi nesse tempo. Ano novo, vida nova, postagens novas, comentários novos. Desculpa aí galera, mas marquei todos os meus feeds como lidos e segui em frente. 8D

Mas quero dar continuidade aos projetinhos iniciados em 2013. Um deles é a Blogagem Coletiva do Rotaroots, que em Janeiro propõe o tema “14 Coisas para ser em 2014”. Então, vamos lá…

 

14 12 10 8 6 Coisas para ser em 2014 (Sério, não consegui pensar em tanta coisa assim)

1. Mudar de Casa

A coisa mais importante no momento. Porque a nossa casinha já não nos comporta mais, e temos problemas com vizinhos que acham que nossos cachorros pulam um muro de mais de 2m de altura para ir na casa deles fazer arruaça (gatos também viram lixo, sapos também fazem cocô, mas a culpa é dos meus cachorros =P). Então, precisamos de outra casa. Tipo, o quanto antes!

2. Emagrecer

Eu sei que vivo com o discurso contra essa ditadura da beleza que impõe padrões absurdos. Até as mulheres gordas possuem um padrão para serem consideradas bonitas, e isso é mais do que absurdo.
Mas quando o seu IGC (Índice de Gordura Corporal) ultrapassa os 35%, a medicina diagnostica você com uma doença chamada obesidade elevada. É nesse ponto em que estou nesse momento. Tenho 1,72m de altura (sempre achei que fosse 1,74m, mas a médica disse que não – será que estou encolhendo já?) e peso 80kg. Não parece muito, mas se você usar um adipômetro em torno do meu barril da minha barriga, vai ver que tem quase 36% de gordura ali. E como a minha família tem longo histórico de pessoas com problemas de coração, pressão, circulação, etc, acho melhor me cuidar. Né? A ideia não é virar um cabideiro. Só quero regular o meu IGC para ser considerada fora de risco – e voltar a caber nas minhas roupas. ;)

3. Aprender Inglês direito

Eu tenho um conhecimento estranho da língua inglesa. Em concursos públicos, sou capaz de gabaritar a prova de inglês. Consigo assistir a maioria dos filmes sem legenda e os compreendo com poucas falhas. Consigo entender 95% dos textos que leio e sou capaz de me comunicar com o suporte técnico internacional por e-mail sem grandes problemas. Mas, por favor, não me peça para me comunicar com uma pessoa diretamente. Não me peça para falar inglês, ou para usar o chat do suporte, porque a ideia de não poder usar um corretor no texto me deixa em pânico. Meu inglês básico (especialmente a gramática) é extremamente pobre, e eu não sei quase nada de concordância verbal.

A ideia é corrigir isso aí. Quero ser capaz de me comunicar com as pessoas. Tenho planos para o futuro que envolvem sair da Banânia (A.K.A. Brasil) e preciso de um bom inglês, só para começar.

4. Comprar um notebook novo

Eu amo o meu Dell Inspiron 1545. Tenho ele há 6 anos e nunca precisei consertá-lo (exceto por uma rachadura na tampa que foi acidental). Adoro esse menino! <3 Ele é perfeitamente funcional, mas quando se trabalha com informática, às vezes é preciso fazer upgrades nas ferramentas. E eu acho que chegou a hora. Preciso de uma placa de vídeo melhor, de um processador melhor, mais memória. É tanta coisa, que vale mais a pena comprar um notebook novo, do que tentar fazer upgrade nesse aqui. Ele funciona perfeitamente, roda até meu WoW do coração, mas eu tenho a sensação de que essa felicidade toda não vai durar por muito mais tempo. Acho que se aproxima a hora de nos despedirmos. =/

5. Voltar a andar de bicicleta

Certa vez, quando fui demitida de um emprego, usei a indenização para comprar uma bicicleta e disse “Esse vai ser o meu meio de transporte a partir de hoje”. No início foi mesmo. Coloquei cestinha, bagageiro, arrumei a camelinha toda para ficar linda e funcional. Uns meses depois, tive problemas de saúde que me impediram de continuar pedalando, depois meu pai comprou um carro, eu mudei de casa, mudei de emprego, procrastinei o quanto pude, e a bicicleta acabou encostada lá, no quintal, tomando chuva, sol, adquirindo flores (a foto é do pneu de trás da bicicleta, umas semanas atrás, antes do namorido se desfazer das plantas por causa da Mel).

Bike-Flores

Agora que estou com os problemas de saúde sanados, quero voltar a andar. Por isso, tomei como meta mandar arrumar a minha bicicleta e voltar a torná-la meu principal meio de transporte na cidade. ;)

6. Ser uma pessoa melhor

Não. Eu não estou falando de me tornar uma boa samaritana, que sai ajudando todo mundo por aí, e que quer mudar o mundo, e bla bla bla. Não tenho nada contra as pessoas assim, só que isso não faz o meu estilo. Eu quero ser uma pessoa melhor. Melhor comigo mesma, mais madura, mais centrada, menos rancorosa, menos nociva a mim mesma. Porque eu sou tudo isso. Sou daquelas que guarda rancor de coisa idiota e fica ruminando aquilo até parecer o maior crime do mundo. Chega! Esse tipo de sentimento mesquinho me consome. Quero abraçar a felicidade e aprender a não dar importância para coisas pequenas. Aprender a aceitar as coisas ruins como lições, agradecer pelas coisas boas e seguir em frente. Acho que, alcançar isso, vai fazer de mim uma pessoa muito melhor. Comigo e com os que estão à minha volta. ;)

 

E é isso… Não consigo pensar em mais nada que eu realmente queira para 2014. Na verdade, há muita coisa que eu queira a longo prazo. Mas são coisas que não dependem de mim, coisas grandes demais para se conquistar em tão pouco tempo, por isso não vou me preocupar em colocar uma meta nelas. Vou ficar apenas com essas 6, e espero conseguir cumprir ao menos a metade delas. hahaha

 

6 Comentários

07/11/2013 BC: Brasileirices

Tags: |

Nessa quinzena, a galera do Rotaroots resolveu falar sobre as Guilty Pleasures brasileiras. Aquelas coisinhas do nosso Brazilzão que a gente ama, mas prefere não contar a ninguém.

Acontece que, como eu já havia dito em outro post, eu não sinto vergonha das coisas que gosto. Não as considero exatamente “guilty pleasures”. Uma coisa do nosso país que eu simplesmente amo é a nossa Natureza, esse berço esplêndido ao som do mar e à luz do céu profundo. Mas disso, quem não gosta?

Como eu sei que muita gente (especialmente as da minha idade, ou mais novas) vira a cara para coisas que eu realmente gosto, vou fazer a minha listinha baseada nisso. ;)

Amazônia1

 

Oswaldo Montenegro

“Canto uma canção bonita, falando da vida em ‘Ré maior’. Canto uma canção daquela, de filosofia e mundo bem melhor”.

Minha paixão por Oswaldo Montenegro foi crescendo aos pouquinhos, devagarzinho, enquanto eu ouvia os discos dele tocando na vitrola da minha irmã mais velha. E mais tarde, eu mesma escolhia os CDs dele que queria ouvir e colocava no aparelho de som. Anos depois, no drive de DVD do computador. Fechava o quarto inteiro para abafar o som e ouvia as músicas no volume mais alto que conseguia, cantando junto, decorando cada letra, cada nota musical que saía da flauta de Madalena Salles, cada dedilhado no violão.

Oswaldo Montenegro tem a voz mais linda do Brasil (só não digo do mundo, porque existe um Corey Taylor na minha vida) e eu não tenho a menor vergonha de admitir que adoro ouvir ele cantar. =)

 

Roupa Nova

Vocês aí reclamando do Latino com as suas “versões” de músicas famosas, provavelmente não sabem que o Roupa Nova já fazia isso muito antes do Latino sair das fraldas. A diferença é que as versões deles eram boas, com letras bonitas e gostosinhas de ouvir. Além disso, os caras também escreviam músicas lindas, e às vezes usavam letras de compositores tupiniquins de respeito.

Meu gosto por Roupa Nova também é culpa da Fernanda, minha irmã mais velha, que tem basicamente tudo do grupo. Ela tem até a coletânea da coletânea dos melhores momentos do Roupa Nova, e por causa da paixão dela, eu aprendi a gostar.

Essa música me arrepia até hoje. <3

 

Música Caipira e Moda de Viola

Deu pra perceber que eu gosto de “coisa de gente velha”, né? Então… Sou filha da roça. Meus pais (os quatro) são de origem muito humilde, da roça, onde costumava-se plantar, caçar e pescar o próprio alimento. Eles cresceram, estudaram, casaram, mas bons hábitos ficam. Então, eu cresci acompanhando os meus quatro pais (e de vez em quando os tios) em pescarias, acampamentos, e passeios em roças da vida. Comia peixe assado na beira do rio, andava descalça na estrada de terra, tomava banho de cumbuca com água aquecida no fogão à lenha. E quando escurecia, em volta da fogueira, era hora de tocar violão, cantar as modas, e contar as histórias. E eu ficava ali, só ouvindo.

Mas observe bem… Não estou falando de Sertanejo Universitário. Estou falando de Sérgio Reis, Almir Sater, Renato Teixeira, Tonico e Tinoco, e outros grandes daquela época. Gosto, sem medo nem vergonha, porque essas músicas me lembram de bons tempos da minha infância, e têm cheirinho de mato, risadas, água correndo e estrada de terra. Ocê me dá licença.

 

Nelson Gonçalves

“Boemia, aqui me tens de regresso. E suplicante lhe peço, a minha nova inscrição.”

Aqui, a culpada é dona Maria, minha segunda mãe, tia e madrinha. Fã incondicional de Nelson Gonçalves, ainda tinha, de quebra, um irmão que cantava igual a ele, e tocava violão muito bem. Eu sou uma saudosista sem ser chata. Acho que tudo evolui. A música não é diferente. As coisas mudam, os estilos mudam, e isso é natural. Mas alguns dos momentos mais felizes da minha vida foram embalados por Nelson Gonçalves. E por mais que os novos estilos eventualmente me conquistem, a boemia vai continuar guardadinha aqui no coração.

 

Tambores de Umbanda

Eu não sou familiarizada com a religião Umbanda. Apenas recentemente comecei a estudar a magnífica cultura africana e as religiões originadas de lá. Mas no meu quarto, quando eu me deitava em silêncio para dormir, às vezes podia ouvir os tambores de Umbanda lá no alto do morro. E aquilo me dava uma paz, uma calma, difícil de explicar. Eu podia estar sozinha, talvez até com medo, mas se ouvisse o ritmo tambores soando no meio da noite, me sentia segura, me sentia acompanhada.

Talvez essa paixão tenha começado com o atabaque na Capoeira (que eu pratiquei durante muito tempo), ou talvez seja algo passado de geração em geração no meu sangue. Só sei que gosto muito, e ainda hoje guardo esse sentimento, sentindo aquele calorzinho no peito e os pelos do corpo arrepiando quando soam os tambores.

Tem muito mais coisa dessa nossa terrinha que eu amo de paixão, mas vou parar por aqui, senão vou passar o resto da vida escrevendo, escrevendo e escrevendo. rsrs

E você? Quais são as suas paixões nacionais?

10 Comentários

29/10/2013 BC: Meus 5 filmes de bruxas preferidos

Tags: |

O dia 31 de Outubro está chegando, e com ele, uma das datas comemorativas mais tradicionais do ocidente: o Halloween.

Em homenagem a este grande dia, a galera do RotaRoots resolveu fazer uma Blogagem Coletiva com o tema “5 filmes para assistir no Halloween”. E mesmo que eu não siga a Roda do Ano do Hemisfério Norte (na verdade, nem sou exatamente uma assídua adepta dos grandes rituais – mas isso não vem ao caso), acho que qualquer motivo para comemoração é válido. O importante mesmo é se divertir. Não é?

Como todos sabem, o Halloween também é conhecido como o “Dia das Bruxas”. Então eu selecionei meus 5 filmes de bruxas preferidos para recomendar a vocês.

PS.: Os filmes não são de terror, nem suspense, nem têm necessariamente relação com o Halloween. A única coisa que eles têm em comum, é que tratam do tema “bruxas”. ;)

 

1. O Serviço de Entregas da Kiki (Majo no Takkyūbin)

Kiki

Eu poderia passar um mês falando sobre todos os motivos que me fazem adorar esse filme, mas posso resumir em duas palavras: Estúdio Ghibli. Porque eu sou fã do Hayao Miyazaki e de tudo o que ele faz. Já assisti todos os filmes do Estúdio Ghibli (exceto Kaze Tachinu que ainda não tive coragem) e assisto sempre, de novo, de novo, e de novo.

O filme fala sobre a Kiki, uma bruxinha de 12 anos que, conforme a tradição da sua família, deve passar um ano longe de casa para treinar seus poderes. A questão é que os poderes da Kiki se limitam a ser capaz de falar com os gatos, e voar (mais ou menos) de vassoura, o que dificulta um pouco o seu treinamento. E você acompanha a história do crescimento dessa bruxinha, e de como ela passa por diversas provações e dificuldades até se tornar uma bruxa mais amadurecida.

O filme é lindo, e tem uma lição enorme de perseverança, determinação, amizade e autoconfiança.

 

2. Da Magia à Sedução (Practical Magic)

Eu já disse o quanto gosto desse filme aqui. É um daqueles filmes que eu assisto sempre, incansavelmente. Ele conta a história das mulheres da família Owens, especialmente as duas irmãs Gillian (Nicole Kidman) e Sally (Sandra Bullock), que são descendentes de uma longa linhagem de bruxas, e carregam consigo uma terrível maldição: Todo homem que se apaixone por uma Owens está fadado a morrer tragicamente cedo.

Uma das coisas que mais gosto nesse filme é a forma como ele retrata a bruxaria (que é muito próxima da forma como eu mesma vejo): um ofício. E ainda tem as tias Frances e Jet, que são um espetáculo à parte. Sem contar a trilha sonora, que fica tocando marotamente aqui nas minhas playlists da vida.

 

3. Chocolate (Chocolat)

É mais um filme daqueles delicados, cheio da magia mais verdadeira e sincera que existe no mundo: a comida.

Chocolate conta a história de uma mulher chamada Viane, que leva uma vida meio nômade com sua filha Anouk, mudando de cidade em cidade, carregando consigo o segredo ensinado pelos seus ancestrais: a fabricação de um chocolate mágico. Ela chega em uma pequena vila na França, uma daquelas cidadezinhas interioranas cuja pequena população é extremamente religiosa e fria, e instala sua chocolateria. A princípio, é recebida com muita desconfiança e medo, mas aos poucos vai transformando a vida daquelas pessoas, e mudando um pouco a sua própria forma de ver o mundo.

É um filme delicado, gostoso, de dar água na boca (de verdade) e, de quebra, tem o Johnny Depp interpretando um cigano. ;D

 

4. As Bruxas de Eastwick (The Witches of Eastwick)

Se você ainda não conhece esse filme, ou se nunca assistiu por puro preconceito (porque passa na Sessão da Tarde, e Sessão da Tarde não é cool), eu vou citar dois motivos que me fizeram realmente gostar desse filme :

1. Susan Sarandon, Michelle Pfeiffer e Cher formam, provavelmente, o melhor trio de bruxas que você já viu na sua vida. Porque elas são autênticas, lindas, absolutamente femininas e sexualmente livres, de uma forma que somente os anos 80 poderiam nos fornecer. As três possuem problemas reais, de mulheres reais, e criam a própria solução para eles, mostrando que são independentes também.

The-Witches-of-Eastwick01

2. O Jack Nicholson é um diabo que eu adoro odiar. Cara, é o fucking Jack Nicholson! E o fato de eu ter sonhado que ele era São Jorge uma vez, não tem nada a ver com isso. huahuahuaha

jack-nicholson

 

5. Stardust

Em primeiro lugar, Neil Gaiman. Somente esse nome já seria motivo suficiente para você encontrar esse filme onde quer que seja, e assistir ao menos umas vinte vezes. Em segundo lugar, Michelle Pfeiffer, de novo! Linda, diva, maravilhosa, e definitivamente a melhor bruxa que o cinema já teve. O filme é recheado com um elenco maravilhoso, como Robert De Niro, Michelle Pfeiffer, Claire Danes, Henry Cavill, Ben Barnes, o adorável David Kelly, e mais uma pá de gente talentosa demais! Não tem como não gostar. ;)

 

É isso, pessoal. Espero que vocês se divirtam muito nesse Halloween! ;)

Galerinha bonitinha que também está participando dessa Blogagem Coletiva: AmandaAnyBabeeBárbaraCamilleCarlaCarolDebsDudaGuiLilikaLomaLola Luci CarolineMarianaMih PattyRenataRodrigoThaisVictoriaVinicius.

19 Comentários